Discurso do Embaixador - 15 de Março de 2011

Ex.mo Senhor Director Geral do Instituto Nacional das Bolsas de Estudos,
Minhas Senhoras e meus Senhores os organizadores deste programa,
Estimados candidatos,
Minhas Senhoras e meus Senhores,

E com muito prazer que me encontro hoje convosco para anunciar, juntamente com o nosso parceiro o Instituto Nacional das Bolsas de Estudos (INABE) do Ministério do Ensino Superior da Ciência e Tecnologia, o lançamento do programa de bolsas Angola-França.
Estamos reunidos por ocasião dos testes de selecção deste programa que permitirá, a partir de Julho de 2011, o financiamento de bolsas de estudos superiores em França para no mínimo vinte estudantes por ano. Os bolseiros integrarão então a prestigiosa rede francesa dos Institutos Universitários de Tecnologia (IUT), que reúne 115 instituições e propõe uma vasta gama de formações adaptada à diversidade do mundo profissional e industrial.
Este programa, cujo orçamento cumulado sobre 3 anos, ultrapassará os 3 milhões de euros, será financiado pelos dois países. E o resultado de um ano de intercâmbios e de análises levadas a cabo conjuntamente com o INABE, e quero agradecer pessoalmente o empenho pessoal do seu Director Geral, o Doutor Jesus Baptista, que permitiu que os encontrássemos hoje aqui.
Este trabalho comum proporcionou o desenvolvimento de uma confiança mútua e o estabelecimento de uma visão comum. O primeiro eixo desta visão comum assenta sobre a necessidade de se investir no desenvolvimento do capital humano angolano. O primeiro recurso de Angola são e sempre serão os Homens e as Mulheres deste pais.
O outro eixo de convergência realçado nesta colaboração é uma necessidade importante em quadros técnicos nos sectores ditos de reconstrução e de diversificação industrial. Deste modo, o programa concentrou-se nos domínios tais como a engenharia civil, as telecomunicações ou ainda a engenharia industrial, que são as prioridades locais e sectores franceses de excelência.
Se este programa permitiu forjar uma visão comuna, para nós ele constitui igualmente um reconhecimento. O INABE desejava enviar bolseiros nas melhores universidades estrangeiras e escolheu a França para desenvolver um programa desta envergadura, baseando-se numa avaliação qualitativa feita por ocasião de uma visita em França em 2010.
Afim de responder a esta exigência qualitativa, a Embaixada de França não hesitou em desenvolver em Angola um novo dispositivo de formação em língua francesa para os futuros bolseiros, em colaboração com a Aliança francesa. Também não hesitou em abrir as portas da sua rede nacional de IUTs. A presença hoje, do Doutor Philippe Pierrot, Vice-presidente da Assembleia dos Directores de IUTs, testemunha a implicação dessas instituições universitárias.

A escolha da França é igualmente o reconhecimento do grande empenho desta Embaixada junto das autoridades encarregues do ensino superior. Com efeito, este sector beneficia da maior parte dos nossos meios de cooperação em Angola, quer seja através dos nossos próprios programas de bolsas em apoio ao desenvolvimento das universidades angolanas ou em distintos projectos de apoio à estruturação das novas instituições superiores técnicas angolanas tais como o projecto Angosup.

Para termina, quero desejar boa sorte à todos os candidatos que irão participar nesta semana de selecção. Tentaremos, tal como vocês, desenvolver todos os esforços necessários para que os vossos estudos sejam coroados de êxito. Saibam que ao realizar os vossos estudos no nosso país, juntar-se-ão depois à uma comunidade de ex-bolseiros Angolanos em França, rica de várias centenas de pessoas que hoje obram localmente.
As minhas últimas palavras serão para agradecer novamente o Director Geral do INABE assim como as suas equipas e exprimir-lhe o meu desejo de ver crescer este programa assim como a nossa colaboração.

Muito obrigado.

Atualização : 06/04/2011

Princípio da página